Publicado em 20/03/2020 às 11h35.

Permanência de Felipe Lucas no MDB depende de Geraldo Jr. e Futuca

Emedebistas afirmaram ao bahia.ba que o presidente da CMS tem 'carta branca' para tomar a decisão

Matheus Morais
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba
Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ bahia.ba

 

A permanência do secretário de Ordem Pública de Salvador e vereador licenciado, Felipe Lucas, no MDB depende do presidente da Câmara Municipal, Geraldo Júnior (SD), e do presidente da legenda na Bahia, Alex Futuca.

Segundo caciques do MDB ouvidos pelo bahia.ba, apesar de ainda não ter se filiado à legenda, Geraldo tem carta branca do partido para tomar a decisão, já que é líder do bloco independente que o MDB integra, além de presidir o Legislativo Municipal.

“Ele tem nosso cacife e confiança para tomar essa decisão. É um homem sério e que deve vir para o MDB em breve. É líder do nosso bloco, presidente da Câmara. É, junto com Alex Futuca, o novo cacique do partido na Bahia”, ressaltou um emedebista que não quis se identificar.

Felipe Lucas, que voltará à Câmara para disputar a reeleição, disse recentemente que pretende ficar no MDB, contudo sua permanência não foi garantida por um ex-vereador do partido ouvido pelo bahia.ba.

“Não tem nada certo. Ele tem que passar pelo crivo de Geraldo e Futuca. Só eles podem decidir pelo MDB. Não adianta só o secretário querer”, ressaltou.

O bahia.ba apurou ainda que um possível desejo de Lucas em ingressar no DEM, do prefeito ACM Neto, teria desagradado a cúpula do MDB baiano.

PUBLICIDADE