Publicado em 07/08/2020 às 11h34.

‘Time’ do governador está no mesmo patamar de Bruno Reis, diz Daniel sobre pesquisas

Para deputado, disputa pela Prefeitura de Salvador deverá ser definida em 2º turno

Alexandre Santos / Matheus Morais
Deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) |Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) |Foto: Matheus Morais/bahia.ba

 

O deputado federal Daniel Almeida (PCdoB) afirmou nesta sexta-feira (7) que recentes pesquisas sobre o cenário pré-eleitoral em Salvador indicam que a disputa pela sucessão de ACM Neto (DEM) será definida em segundo turno.

Na avaliação do parlamentar, apesar de integrar uma gestão bem avaliada,  o vice-prefeito Bruno Reis, aposta do do Thomé de Souza, tem figurado nas sondagens no mesmo patamar que postulantes da base do governador Rui Costa (PT), dentre eles Olívia Santana, sua correligionária.

“Não tenho a menor dúvida de que será uma eleição de 2º turno. As pesquisas já indicam que mesmo o candidato que aparece como candidato do prefeito tem um índice baixo para o prestigio que as pesquisa revelam que o prefeito tem. Há dois grandes eleitores em Salvador, que é o governador e o prefeito. Tem um time de candidatos ao lado do governador e tem um candidato ao lado do prefeito. A somatória do time que está do lado do governador, que as pesquisas indicam, é maior do que aquilo que revela o candidato do prefeito”, declarou Daniel durante evento ao lado do governador no Parque de Exposições da capital.

Segundo Almeida, embora o pleito deste ano não conte com tradicional corpo a corpo, Olívia Santana tem mantido uma agenda movimentada para apresentar as ideias que deverão fazer parte do seu plano de governo.

“Tenho acompanhado a pré-campanha da Olívia, e não tem faltado agenda, debates, encontros, programações para preparação de programa de governo, conversas para alianças. Nós estamos muito satisfeitos e tenho certeza de que não será uma eleição morna, não. Será uma eleição com bastante agitação, mesmo que seja nas redes virtuais e com a certeza de que o voto do eleitor ainda está indefinido”, projetou o deputado.

 

 

Mais notícias