Publicado em 04/08/2022 às 17h46.

ACM Neto diz que escolha de Ana Coelho foi de Márcio Marinho

Marinho ressaltou a indicação e confirmou a escolha: "Por conta própria eu escolhi a Ana"

Flávia Requião / Matheus Morais
Foto: Matheus Morais/bahia.ba
Foto: Matheus Morais/bahia.ba

 

O pré-candidato a governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil), declarou em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (4) que a escolha do nome da pré-candidata a vice-governadora Ana Coelho foi do Partido Republicados e do deputado federal Márcio Marinho (Republicanos), que confirmou a tomada de decisão final.

“Estou feliz por que estou aqui anunciando para vocês esse nome, que poderia estar no conforto da vida dela, mas está atendendo a nossa convocação, dos Republicanos, e se colocou à disposição, por que também quer dar a sua contribuição, porque não aguenta mais ver o desmando do estado e ficar no conforto dela, mas poderia. Ela veio para cá com toda nossa indicação, e de fato, fui eu que escolhi entre vários nomes, mas por conta própria eu escolhi Ana, para estar ao lado dessa equipe representando o partido”, disse o deputado.

Marinho ressaltou a importância sobre a escolha de Ana como pré-candidata a vice, principalmente por ser uma representante mulher.“Nosso governador já disse que vai ser a primeira vez que o estado da Bahia tem uma mulher com a caneta na mão decidindo junto com o senador e o governador o futuro daquilo que nós queremos”, pontuou.

O deputado ainda afirmou que apesar da equipe ser vista como nova, muito trabalho será feito com qualidade.“Temos visto o desejo das pessoas por mudança aqui. Você disse que é o mais velho dessa equipe, que vai governar uma equipe nova. Uma equipe nova, competente e com condição de conduzir os estímulos da nossa querida Bahia”. 

Márcio ainda se mostrou satisfeito com o partido poder representar o estado.“A gente fica feliz como republicanos de estarmos juntos e poder proporcionar essa transformação, que a gente vem fazendo em Salvador, no nosso partido e agora com Aninha nós vamos fazer por todo o estado da Bahia”. 

A declaração de ACM, indicando Márcio Marinho como fonte de escolha final, mostra uma forma de ‘prêmio de consolação a Marcelo Nilo’ que ficou fora da chapa depois de romper com o governo Rui Costa. A articulação de Nilo esbarrou no poder de Marinho, que preside o Republicanos na Bahia e é a liderança mais forte na igreja Universal do Reino de Deus.

 

 

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.