Publicado em 24/09/2022 às 13h00.

ACM Neto questiona legado dos governos do PT no extremo sul

Concorrente ao Palácio de Ondina pelo União Brasil prometeu entregar hospital na região, caso seja eleito

Redação
Foto: assessoria ACM Neto
Foto: assessoria ACM Neto

 

A quase uma semana da votação do primeiro turno, o candidato a governador ACM Neto (União Brasil) questionou o legado do governo estadual no Extremo Sul. Atual líder nas pesquisas, o oposicinista tem como concorrente mais próximo o ex-secretário Jerônimo Rodrigues (PT), apoiado pelo governador Rui Costa (PT).

O candidato destacou que “eles (o grupo que administra o estado) não deixaram um legado efetivo, concreto. Nenhuma mudança consistente. Ao contrário, o sentimento do povo é de distância, é de ausência, é da falta de olhar, de atenção, de cuidado, de investimentos”.

Durante visita à Teixeira de Freitas, ACM Neto também prometeu concluir o hospital regional na cidade, caso seja eleito. “Essa turma passou 16 anos prometendo construir o Hospital Regional aqui em Teixeira de Freitas, mas o atual governador vai encerrar o seu mandato e não terá entregue o hospital funcionando”, disse. Segundo o candidato do UB, “o povo do Extremo Sul não aguenta mais esperar na fila da regulação. As pessoas estão morrendo e entra a eleição, sai eleição, é muita promessa e pouca mudança na vida da população”.

Na cidade, ACM Neto foi recebido pelo prefeito Marcelo Belitardo (União Brasil). Acompanhado pelos candidatos a vice-governadora Ana Coelho (Republicanos), e ao Senado Cacá Leão (PP), ex-prefeito de Salvador conversou com milhares de pessoas que o esperavam na Avenida Getúlio Vargas. “Eu não vou permitir que os vários quilômetros que separam a capital da Bahia, onde está a sede do Governo do Estado, sirvam de desculpa, de justificativa pela ausência do Governo do Estado”, enfatizou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.