Publicado em 21/02/2022 às 07h25.

Kassab diz que eventual candidatura de Otto ao governo da Bahia seria uma ‘punição’

"Rui Costa quer ser senador e o Otto também quer. [...] Seria uma sinalização muito ruim", afirmou o líder do PSD

Mattheus Miranda
Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba
Foto: Luiz Felipe Fernandez/bahia.ba

 

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, voltou a comentar na noite deste domingo (20) sobre o conflito na chapa do PT na Bahia. Em entrevista ao Canal Livre, da TV Bandeirantes, o psdista confirmou que a tensão foi originada pelo desejo de Rui Costa (PT) em disputar uma vaga no Senado Federal, nas eleições de outubro.

Durante a conversa com os jornalistas, Kassab afirmou ainda que uma eventual candidatura de Otto Alencar (PSD) ao governo da Bahia, no lugar de Jaques Wagner (PT), seria “uma punição” por parte do Partido dos Trabalhadores, e não uma moeda de troca para o PSD apoiar Lula já no primeiro turno do pleito deste ano.

“Isso seria uma punição ao Otto. O Rui Costa quer ser senador e o Otto também quer. Ele (Otto) é candidato a senador. Seria uma sinalização muito ruim. O Otto é um tradicional parceiro do PT. Dentro do partido (PSD) ele é a pessoa que lidera as manifestações em favor de uma aliança com o Lula ainda no primeiro turno. Isso, pode ter certeza, é traduzido de uma maneira muito ruim para o Otto e para todo o partido. Ele lidera, dentro do partido, todas as ações a favor do PT. Isso é público. Ele é aliado do PT na Bahia. Um dos melhores quadros do partido. Fundador do PSD. É uma péssima sinalização, mas eu acredito sim que o Otto sai sim candidato a senador e isso agrada muito o PSD, pois é vontade do Otto continuar no senado”, disse Kassab.

O PT segue trabalhando para ter o apoio do PSD nas eleições de outubro. Recentemente, o partido ampliou a oferta a Gilberto Kassab para conseguir o apoio da legenda à candidatura do ex-presidente Lula (PT) já no primeiro turno.

Além da possibilidade de retirar candidaturas aos governos estaduais da Bahia, de Minas Gerais e do Amazonas para dar lugar a candidatos do PSD, os petistas se comprometeriam em apoiar a candidatura de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) para presidir o Senado na próxima legislatura.

Kassab, no entanto, segue afirmando que o PSD terá candidato próprio no primeiro turno das eleições.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.