Publicado em 12/03/2022 às 15h00.

Leão revela convite de Wagner para assumir governo: ‘Se tem um cara fiel é Leão’

Vice-governador quebra o silêncio, admite mágoa com a base petista, e diz que tomará decisão sobre futuro político na próxima semana

Rodrigo Daniel Silva
Foto: Divulgação / Carol Garcia/GOVBA
Foto: Divulgação / Carol Garcia/GOVBA

 

O vice-governador João Leão (PP) quebrou o silêncio, neste sábado (12), e revelou ao bahia.ba que o senador Jaques Wagner (PT) o convidou para assumir o governo da Bahia quatro dias antes de declarar na rádio Metrópole que o governador Rui Costa (PT) ficará até o fim do mandato. O que acabou com o sonho do pepista de ter um “mandato tampão” como chefe do Palácio de Ondina.

“Eu sentei com o Wagner. Ele me convidou para assumir o governo, antes daquela entrevista fatídica da rádio Metrópole. Aqui na minha casa, sentado na minha mesa de cabeceira. Quatro dias antes. Foi na quinta. Foi na quinta, sexta, sábado, domingo. Na segunda, eu soube da resposta dele. Resposta, não. Afirmativa. Eu estou surpreso. É inacreditável”, declarou Leão, em entrevista à reportagem.

O vice-governador afirmou que a decisão sobre se permanece na base do governador Rui Costa (PT) ou se migrará para o grupo do ex-prefeito soteropolitano ACM Neto (União Brasil) sairá até a próxima semana. Leão fez questão de ressaltar que comunicará a decisão a base petista. “Não posso pagar com a mesma moeda o que fizeram comigo. Se tem um cara que é fiel chama-se João Leão, correto, digno e tem uma história na vida política e na minha vida familiar. Convivo com dona Tereza há 48 anos. Nunca brigamos, eu nunca discuti com a minha mulher. Eu nunca discuti com meus amigos. Eu, no meu dicionário, não tenho a palavra ex-amigo. Sou um respeitador das pessoas”, pontuou.

Perguntado se estava magoado com o episódio, Leão, que fez pausas na entrevista por telefone aparentemente emocionado, admitiu: “rapaz, qualquer pessoa ficaria. Lógico, bicho, lógico mas a vida é feita de perdão, mas não sei (se perdoo)”.

O vice-governador frisou que tem conversado com sua base política antes da decisão, e disse que gostaria de dialogar com o ex-presidente Lula (PT) também. “Nós elegemos 92 prefeitos. Quinze vieram já para o nosso lado. Então, nós temos 107. Estou consultando a todos. Já consultei até agora 72. Consultei aqueles que colocaram aquele card (nas redes sociais em meu apoio). Todos os prefeitos que colocaram aquele card, eu já consultei. Todos os 72. Não é 99%. 100% me disseram que a posição que eu tomasse será a posição deles”, disse ele.

“Eu gostaria de conversar com o Lula e com Rui Costa. Mas como o Lula está em São Paulo, eu não vou lá em São Paulo. E essa conversa eu não posso ter com ele por telefone. Conversei com o Rui, mas disse que estava pensando no rumo que eu iria tomar. Não dei uma resposta nem que sim nem que não”, pontuou.

Sobre ACM Neto, ele disse: “não dei uma resposta a ele nem que sim nem que não”. “Para onde eu vou? Acho que na terça-feira, quarta ou quinta, eu estarei confirmando. Eu peguei meus quatro deputados federais e meus nove deputados estaduais, todos eles disseram: ‘onde você estiver, estarei junto’”, emendou.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.