Publicado em 12/08/2022 às 15h09.

‘O sertão da Bahia vai prosperar sob o meu governo’, diz Roma

Candidato visitou 13 das 44 cidades que serão beneficiadas pelo Canal do Sertão Baiano

Redação
Foto: assessoria/João Roma
Foto: assessoria/João Roma

 

Na jornada pela região do Canal do Sertão Baiano, em que visitou 13 das 44 cidades a serem beneficiadas pelo empreendimento, o candidato a governador da Bahia, João Roma (PL), viu de perto as potencialidades locais a serem desenvolvidas no semiárido.

“O semiárido é rico em minérios e tem solo fértil para muitas culturas agrícolas. Com as soluções que pretendemos implementar, em conjunto com o governo federal, para a escassez de água, que abrangem também o Canal da Redenção na região de Irecê, o sertão da Bahia vai dar um salto de prosperidade”, afirmou João Roma.

O Canal do Sertão Baiano está, atualmente, na fase de conclusão do projeto executivo para o início das obras no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ao visitar, nesta sexta-feira (12), a fábrica de tintas Yalen, em Jaguarari, Roma afirmou que, caso eleito, pretende incentivar a abertura de empresas.

“É um bom exemplo de indústria com baixo consumo de água que, a exemplo, da calçadista, já se instalou na região com sucesso. Nosso propósito no governo é criar as condições necessárias para atrair investimentos com este perfil”, anunciou o candidato apoiado pelo presidente Bolsonaro.

Para Roma, com o aumento do abastecimento hídrico, a partir dos canais projetados com as águas do rio São Francisco, o objetivo será estimular o desenvolvimento das cadeias produtivas associadas à agropecuária e à mineração, com geração de emprego e renda para a melhoria de vida no semiárido, que abrange 70% do território baiano e abriga mais da metade da população baiana.

Nas andanças dos últimos dias, João Roma pôde ver a produção mineral existente em cidades como Jaguarari e Campo Formoso. “Toda a região por onde vai passar o Canal do Sertão Baiano é rica em minérios e pedras preciosas. E a chegada da água, além de desenvolver a atividade agrícola, vai criar condições para a fixação das pessoas na região para a exploração sustentável de suas riquezas”.

Na passagem por Ponto Novo, João Roma ouviu queixas dos irrigantes em relação ao manejo das águas. Segundo os produtores, a gestão governamental do perímetro de irrigação do município não tem contribuído para o desenvolvimento das atividades agrícolas. O fato foi repudiado por Roma. “No meu governo não haverá perseguições a ninguém”.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.