Publicado em 20/05/2022 às 15h27.

‘Problema sério’, diz ACM Neto sobre assistência regional à saúde

Pré-candidato ainda disse que conhece bem os principais problemas

Redação
Foto: UB-Bahia
Foto: UB-Bahia

 

O pré-candidato a governador ACM Neto (União Brasil) declarou nesta sexta-feira (20), no município de Érico Cardoso, localizado na Bacia do Paramirim, que a Bahia tem um “problema sério” de falta de assistência regional à saúde e pontuou que conhece “exatamente quais são os principais problemas que afetam o dia a dia do nosso povo”.

“Aqui na região temos um problema sério de falta de assistência regional à saúde, que infelizmente não é um problema exclusivo daqui, é um problema da Bahia inteira. Quando a gente chega nas pequenas e médias cidades, a coisa que eu mais ouço do nosso povo é: ‘Neto, pelo amor de Deus, ajude a implantar um hospital regional, uma policlínica, porque a gente precisa de uma consulta, um exame, um internamento’. Acaba tendo que esperar meses e meses na fila da regulação”, disse.

Neto afirmou que, desde o ano passado, já passou por mais de 100 municípios de todas as regiões do Estado e que conhece os problemas que afetam o povo da Bahia e citou a segurança, educação, saúde e desemprego.

“Nós precisamos ter os olhos bem abertos para enxergar o presente e precisamos ter o nosso coração no futuro. Os olhos abertos para mostrar que existem problemas que estão aí e que não foram tratados da forma certa ao longo de 16 anos”, afirmou.

O ex-prefeito de Salvador ainda voltou a defender a regionalização da saúde, prioridade na educação para melhorar a qualidade do ensino e um enfrentamento da segurança com valorização dos profissionais e atuação direta do governador. Pontuou ainda que quer “ver uma Bahia em que o emprego chegue no interior”, a partir de um plano de desenvolvimento focado nas potencialidades de cada região do estado.

ACM Neto também lembrou do avô, o ex-senador Antônio Carlos Magalhães, que inclusive foi a Érico Cardoso em 1991 para levar  sistema de abastecimento de água.

“Tem uma coisa que eu herdei do meu velho ACM e que eu me orgulho: o amor por esta terra. O amor pela Bahia. E a disposição de lutar com unhas e dentes pela Bahia e pelos baianos. Isso é o que nos move. Isso é o que faz com que o nosso coração esteja conectado com o futuro”, constatou.

 

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.