Publicado em 07/12/2017 às 11h20.

Após prisão de Rogério 157, Rocinha tem noite de tiroteio e mortes

A segurança foi reforçada na comunidade, onde dois traficantes morreram nessa quarta-feira à noite

Redação
Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

 

Depois da prisão do chefe do tráfico da Rocinha, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, a favela vive clima de tensão, tiroteio e mortes desde a noite desta quarta-feira (6).

A segurança foi reforçada na comunidade, onde dois traficantes morreram após troca de tiros entre policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Batalhão de Choque.

Segundo relatos, os policiais faziam uma operação na favela quando entraram em confronto com criminosos na altura da Rua 2.

Os bandidos foram levados para o Hospital Miguel Couto, mas já chegaram à unidade mortos. Os nomes dos dois não foram divulgados pela polícia, que fez buscas na região e apreendeu duas pistolas, uma granada, farta munição e cerca de 35 quilos de maconha.

O policiamento continua reforçado nesta quinta (7) na favela, uma das maiores da América Latina. Os confrontos voltaram a ocorrer e a polícia não descarta a possibilidade de uma retomada da disputa entre facções rivais pelo controle dos pontos de venda de entorpecentes.

PUBLICIDADE