Publicado em 22/05/2018 às 22h00.

Mudanças climáticas contribuem para doenças como dengue, aponta estudo

Levantamento feito pela WWF-BRASIL destaca os impactos na expansão de doenças transmitidas por insetos

Redação
Foto: Severino Silva/ Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Foto: Severino Silva/ Agência O Dia/Estadão Conteúdo

 

O aumento da temperatura e a incidência de secas, resultantes do processo de mudança climática, propiciam a expansão de doenças transmitidas por mosquitos como dengue, leishmanioses, malária e febre amarela, de acordo com levantamento feito pela WWF-Brasil, divulgado nesta terça-feira (22) para marcar o Dia Internacional da Biodiversidade. Estudo aponta impactos negativos das condições climáticas no país.

“Com o aumento da temperatura, o ambiente torna-se mais propício para a disseminação desses mosquitos. Isso aumenta a possibilidade da sua área de ocorrência se expandir para outras regiões”, disse André Nahur, coordenador de Mudanças Climáticas do WWF-Brasil.

O desmatamento também contribui para a expansão dos mosquitos, já que há perda e fragmentação de seu habitat. “Geralmente as áreas naturais são refúgio desses vetores. O ambiente natural dos mosquitos não é a cidade, geralmente são as florestas, em que eles se autorregulam”. Segundo ele, situações como o desmatamento, degradação de áreas e expansão desordenada em áreas de vegetação podem aumentar a distribuição geográfica dos mosquitos, inclusive para áreas de cidades.

“O mosquito que buscava alimentação dele na floresta, entre os animais, passam a transmitir doenças para as pessoas”.