Publicado em 18/05/2019 às 16h30.

Dez grandes empresas do país perderam R$ 1,2 bi com caminhoneiros

Balanços mostram que 68% das companhias listadas no Ibovespa sentiram efeitos da paralisação

Redação
Imagem: reprodução/TV Bahia
Imagem: Reprodução/TV Bahia

 

Dez companhias do Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, somam R$ 1,187 bilhão de perdas com a paralisação dos caminhoneiros em 2018, informa reportagem da Folha.

Segundo a publicação, os prejuízos aparecem no chamado Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização).
Das 63 empresas que compõem o índice, 68% destacam efeitos da mobilização em seus balanços. A maioria conseguiu compensar as perdas de maio com bons resultados dos meses seguintes.

O segundo trimestre, entretanto, foi pior que o mesmo período de 2017.

De acordo com a Folha, as mais afetadas são distribuidoras e produtoras de combustíveis. Raízen Combustíveis, da Cosan, Ipiranga, da Ultrapar, e BR Distribuidora, da Petrobras, perderam R$ 200 milhões cada uma com a queda no preço do diesel decorrente da paralisação.

Em seguida, vêm os frigoríficos, que interromperam o fluxo de abate. A Seara, da JBS, foi afetada em R$ 113 milhões. A Marfrig relatou um impacto estimado de R$ 80 milhões a R$ 100 milhões no segundo trimestre. Já a BRF relata R$ 85 milhões de perdas no mesmo período.

PUBLICIDADE