Publicado em 22/02/2019 às 20h20.

Polícia deve entrar no BBB após acusações de intolerância religiosa

Um episódio envolvendo a mineira Paula vem sendo investigado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro

Redação
Foto: BBB
Foto: TV Globo

 

O Big Brother Brasil se tornou pela terceira vez na edição um caso de polícia.

O delegado Gilbert Stivanello, da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) do Rio de Janeiro, pediu à Globo a entrada da equipe na casa do reality show para que a participante Paula seja interrogada. As informações são do jornal ‘Extra’.

Em entrevista à publicação, o delegado confirmou o pedido e afirmou que uma conversa com a participante irá ajudar a esclarecer o caso. “Vamos ao local para confrontar o que vimos nos vídeos. A questão em análise é de intolerância religiosa. Ainda há dúvida no fato de haver crime na fala dela e a conversa vai ajudar bastante a elucidar”.

Nas redes sociais a mineira foi acusada de intolerância religiosa após um comentário sobre o participante Rodrigo.

Na ocasião a bacharel em Direito afirmou em conversa com Diego e Hariany que tinha medo do carioca por conta do “negócio de Oxum” dele. “Eu tenho muito medo do Rodrigo”, disse a mineira. Hariany questionou: “Medo de que? De ele te mandar para o paredão?”. “Medo de eu pegar o líder algum dia e mandar ele. Tenho muito medo. Ele mexe com esses trecos aí…Ele fala o tempo todo desse negócio de Oxum deles lá, que ele conhece. Eu tenho medo disso”.

Logo após a declaração de Paula, a amiga disparou: “Não fala isso. As pessoas vão achar que você é preconceituosa”. “Mas eu não sou não. Nosso Deus é maior”, pontuou Paula.

O delegado afirma que irá conversar com a mineira para entender a situação. “Ela é investigada por conta dessas falas e vou confrontar o que ela disse no programa com o que disser pessoalmente. Em muitas outras declarações, não vejo tipificação de crime. Elas podem ser politicamente incorretas. O interrogatório vai ajudar bastante a elucidar essa história”, disse ao ‘Extra’.

Além de Paula, Rodrigo, que é o personagem envolvido na situação, também será ouvido por Gilbert. “Vou conversar ainda com Rodrigo, para saber se ele sentiu ofendido. É preciso ouvir todas as partes”.