Publicado em 11/04/2019 às 14h31.

Justiça mantém loja do Bahia na Fonte Nova, mas determina retirada de marcas do clube do estádio

"Caso seja determinada a retirada das plotagens nos momentos dos jogos, isso certamente afetaria todos os eventos realizados na Arena", afirmou o presidente do clube, Guilherme Bellintani

Redação
Foto: Divulgação/EC Bahia
Foto: Divulgação/EC Bahia

 

A Justiça indeferiu pedido para retirada da loja do Bahia construída na Fonte Nova, informou o presidente do clube, Guilherme Bellintani, no Twitter.

A instalação do estabelecimento na área do estádio foi questionada judicialmente no final do ano passado. Em nota, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) informou que o Estado autorizou a construção da loja na arena.

“Decisão judicial mantém loja do Bahia na Fonte Nova. Entendemos que qualquer clube que tenha contrato permanente com o estádio possa fazer o mesmo. O faturamento da loja previsto para 2019 será alcançado já no mês de maio. Decisão importante para o planejamento do clube”, escreveu o dirigente.

No entanto, as pinturas, plotagens, placas, bandeiras, distintivos e símbolos do clube devem ser retirados do estádio, no prazo de 15 dias, sob pena de multa diária de R$ 20 mil, limitada a R$ 200 mil.

Para Bellintani, no entanto, a decisão não é clara quanto à possibilidade de manter os adereços nos dias de jogos.

“Caso seja determinada a retirada das plotagens nos momentos dos jogos, isso certamente afetaria todos os eventos realizados na Arena. Se for, cada evento realizado na Arena estaria proibido de portar sua marca. Não acredito que seja o caso. Por segurança, consultaremos a Justiça”, acrescentou.

PUBLICIDADE