Publicado em 11/05/2019 às 18h32.

Moema Gramacho decreta situação de emergência por conta da forte chuva

Dados da Defesa Civil local indicam que choveu 206 milímetros em 72 horas

Redação
Foto: João Victor Medeiros/bahia.ba
Foto: João Victor Medeiros/bahia.ba

 

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, decretou Situação de Emergência no município por 90 dias, após reunião com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec), na tarde deste sábado.

Dados da Defesa Civil local indicam que choveu 206 milímetros em 72 horas, concentrados principalmente nesta madrugada. Em Portão, bairro mais atingido, o Climatempo informa que em seis horas, final da noite de sexta e madrugada de sábado, a região foi atingida por 127 milímetros.

As fortes chuvas que começaram nesta sexta-feira (10) e continuaram no sábado (11) deixaram um rastro de destruição e transtornos em Lauro de Freitas. No balanço da Defesa Civil já são mais de 370 pessoas desalojadas abrigadas em escolas e templos religiosos, cinco queda de árvore que interditaram vias importantes, como a Rua Gerino de Souza Filho e Avenida Luiz Tarquínio, no Centro, queda de muros, deslizamento de terra, alagamentos de vias e destelhamento de casas.

Mais de 250 chamadas congestionaram os telefones da Defesa Civil. O órgão tem o apoio das centrais de videomonitoramento e do Centro Integrado de Mobilidade Urbana (CIMU), que identificam alagamentos e situações de risco.

O transbordamento dos rios foi a principal causa da inundação das casas. De acordo com a prefeita Moema Gramacho, além da concentração de chuva em um curto período de tempo, o temporal coincidiu com a maré alta.

“A cidade está no nível do mar, quando chove e a maré represa as águas, os rios transbordam e geram todo esse transtorno para as populações próximas”, destaca.

Em Portão, situação mais grave, 300 pessoas foram retiradas de suas casas às margens do Córrego dos Irmãos e abrigadas na Escola Cadetes Mirins. Colchões, lençóis, água e alimentos foram distribuídos aos abrigados. Parte das famílias desalojadas já foram cadastradas para o programa do bolsa aluguel.

“O município tem hoje mais de mil famílias no programa bolsa aluguel, pessoas que moravam em áreas de risco e foram retiradas nos últimos meses”, informa a prefeita.