Publicado em 09/07/2019 às 07h42.

Vereadores protocolam pedido de CPI contra prefeito Flaviano Bomfim

Comissão deve investigar supostas irregularidades no pagamento de notas fiscais emitidas que podem ter beneficiado o prefeito

Matheus Morais
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Um grupo de cinco vereadores protocolou na Câmara Municipal da cidade de Santo Amaro, no Recôncavo do estado, um requerimento para a Casa constituir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades no pagamento de notas fiscais emitidas pela empresa Carla Mendes Romano – ME.

Os beneficiários seriam o prefeito do município, Flaviano Rohrs da Silva Bomfim (PP), além de Valdemiro da Paixão Rocha Neto, e Marília Rocha das Neves.

No requerimento que o bahia.ba teve acesso, os vereadores afirmam que “várias notas fiscais emitidas pela empresa Carla Mendes Romano – ME, vencedora do pregão presencial número 087/2017, e pagas pelo município não comprovam a ocorrência dos serviços através de relatórios ou outros documentos afins”.

“Através das informações levantadas percebe-se que existem indícios que a empresa Carla Mendes Romano – ME funcionava como uma espécie de laranja, sendo os agentes políticos beneficiários”, diz ainda o documento.

Segundo o requerimento, o desvio de recursos públicos pode ter superado R$ 300 mil em pagamentos de notas fiscais frias.

Ao bahia.ba, o vereador Jeronildo Sanches (PT), que assinou o requerimento, disse que o prefeito Flaviano Bomfim instaurou a ditadura em Santo Amaro.

“Ele não conversa com ninguém, nem com os aliados dele, vive isolado e faz o que bem quer na cidade. Estamos vivendo o caos, uma ditadura em Santo Amaro”, ressaltou.

O requerimento deve ser analisado pelo presidente da Câmara Municipal no mês de agosto, quando o recesso do legislativo acaba na cidade.

PUBLICIDADE