Publicado em 13/04/2018 às 17h20.

Caetano e Ademar viram réus em processo que apura fraudes em obra

Segundo o Ministério Público, somente com superfaturamento e sobrepreço os desvios chegam a R$ 1,8 milhão nas obras do rio que leva o nome da cidade

Redação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

 

A Justiça aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF) contra os ex-prefeitos de Camaçari Luiz Caetano (PT) e Ademar Delgado (sem partido, ex-PT) por supostas irregularidades nas obras do Rio Camaçari.

Entre as fraudes apontadas pela Procuradoria estão superfaturamento e sobrepreço das intervenções, desvios de recursos públicos, realização de aditivos muito acima dos limites permitidos por lei, além de licitação manipulada para beneficiar a empresa responsável pela obra, a Cowan, outra ré no processo.

Somente com superfaturamento e sobrepreço os desvios chegam a R$ 1,8 milhão.

O MPF ainda pediu, em caráter liminar, bloqueio de bens dos acusados no valor de R$ 5,5 milhões. A Justiça Federal negou o pedido e determinou que todos os acusados fossem notificados a apresentarem suas respectivas defesas no despacho publicado no último dia 27 de fevereiro.