Publicado em 30/05/2017 às 09h05.

Partidos mudam nome para tentar lavar a sujeira que a Lava Jato melou

Embora tenha sido o partido mais bombardeado com a Lava Jato, o PT deve permanecer PT, apesar de tendência ser generalizada

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“Nem toda mudança é crescimento. Nem todo movimento é para frente.”
Ellen Glasgow, escritora norte-americana (1873-1945)

Foto: Frans Lanting/ National Geographic Creative
Foto: Frans Lanting/ National Geographic Creative

 

O PTdoB virou Avante, o PSL Livres e o PTN Podemos. Não é por acaso. A ideia básica é fugir do mix partidário dos tempos da Lava Jato, todos mal afamados diante da opinião pública e, segundo o deputado Lúcio Vieira Lima, presidente da Comissão da Reforma Política, a tendência é generalizada.

— A grande maioria dos partidos deve mudar de nome. Imagine você que o PSDB em Minas teria muitas dificuldades de se apresentar depois do episódio de Aécio.

Lúcio diz que as mudanças devem acelerar no rastro da reforma política, até porque, com a implantação do “distritão”, uma fórmula provisória, o voto de legenda perde importância.

O PT fica – Embora tenha sido o partido mais bombardeado com a Lava Jato, o PT deve permanecer PT. O deputado Rosemberg Pinto diz que nunca se cogitou tal mudança.

— O PT tem um legado. E se tivesse de mudar, seria lá atrás, não agora.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.

PUBLICIDADE