Publicado em 13/04/2018 às 11h48.

Sem foro privilegiado, Wagner afirma não temer ser preso

“O que garante a minha tranquilidade é saber de tudo o que eu fiz e estar com a consciência tranquila”, declarou o petista antes do início da sessão da Alba em solidariedade ao ex-presidente Lula

Luís Filipe Veloso / Rodrigo Aguiar
Foro: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba
Foro: Rodrigo Aguiar/ bahia.ba

 

O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner (PT), que perdeu o foro privilegiado após deixar a pasta para concorrer às eleições de outubro, disse nesta sexta-feira (13) que não teme ser preso nos casos em que é alvo de investigações, como a Operação Cartão Vermelho, que apura irregularidades no contrato do estado com a Arena Fonte Nova.

“Eu não acho que a questão da prerrogativa [foro] é uma questão que, por si só, garanta ninguém. O que garante a minha tranquilidade é saber de tudo o que eu fiz e estar com a consciência tranquila”, declarou o petista.

Por outro lado, o ex-governador ponderou que fatores subjetivos podem até motivar uma ação mais contundente da Justiça, mas ele acredita que não há, por parte do Ministério Público, nenhuma tentativa neste sentido.

“Ninguém gosta de ser preso, mas eu também não vou ficar me escondendo”, arrematou em conversa com a imprensa antes do início da sessão especial em solidariedade ao ex-presidente Lula (PT), que acontece na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba).