Publicado em 22/05/2019 às 20h00.

Procurador diz que agiu por impulso e pede desculpas por agredir adolescente

"Meu filho é uma criança especial e há cerca de três anos vem, frequentemente, sendo agredido emocional e até mesmo fisicamente, por esse adolescente"

Redação
Foto: Reprodução/Bahia Meio Dia
Foto: Reprodução/Bahia Meio Dia

 

O procurador do Estado José Augusto Martins Júnior divulgou uma nota nesta quarta-feira (22) pedindo desculpas por ter agredido um adolescente que é seu vizinho em um prédio na Avenida Garibaldi, em Salvador.

O caso aconteceu na última sexta (17), e no mesmo dia foi registrado na Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca), responsável pela investigação.

Na nota, o procurador explica o motivo da agressão e diz que, “diante do vídeo que está circulando nas redes sociais e na imprensa”, decidiu “pedir sinceras desculpas à sociedade e todos os envolvidos”.

“Reagi ao tomar conhecimento de que meu filho, uma criança especial de 11 anos de idade, estaria aos prantos após ser agredido mais uma vez, por um adolescente de 15 anos, no condomínio onde moramos. Tal episódio resultou nas cenas registradas pela câmera de segurança interna do condomínio”, disse.

Segundo ele, não seria a primeira vez que seu filho sofrera agressão emocional e física. “Para detalhar o ocorrido é necessário expor que o meu filho é uma criança especial e há cerca de três anos vem, frequentemente, sendo agredido emocional e até mesmo fisicamente, por esse adolescente. Fato já comunicado a familiares do mesmo, que ficou sem solução”, afirmou.

E tentou justificar: “Agindo no impulso da emoção, tendo meu limite da razão rompido e por expressa defesa que o instinto de pai manifesta, acabei desencadeando uma postura que destoa completamente da minha conduta pessoal e profissional. Além de assumir toda responsabilidade pelos meus atos, aproveito este triste e lamentável fato para alertar aos demais pais que enfrentam a realidade de ter um filho especial, que denunciem todos os abusos sofridos, evitando o agravamento da situação com ações reiteradas de comportamentos agressivos”.

PUBLICIDADE