Publicado em 11/01/2019 às 13h40.

Médium investigado por mortes após cirurgias espirituais diz que é inocente

“Lamento muito, queria ter ajudado essas pessoas, mas não tenho culpa e vou provar”, disse

Redação
Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto: Reprodução/TV Anhanguera

 

Investigado pela morte de duas pessoas na Bahia e três em Goiás, o médium Antônio Miguel Rodrigues afirmou que é inocente das acusações.

Em entrevista exclusiva à TV Anhanguera nesta quinta-feira (10), ele afirmou que só usa agulhas nas cirurgias espirituais que realiza e que as mesmas não são capazes de “levar à morte de uma pessoa”.

“Lamento muito, queria ter ajudado essas pessoas, mas não tenho culpa e vou provar”, disse.

Antônio realiza atendimentos espirituais em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, e em Barreiras, no interior do estado. Rodrigues afirmou que está em recesso, mas que vai continuar os atendimentos normalmente após o período de descanso.

O médium confirmou que de fato atendeu as pessoas que morreram, mas que não contribuiu para as mortes. Ele disse que só usa agulhas nos tratamentos e também negou ter usado um martelo em um paciente, como denunciou a filha de uma das pacientes dele.

“Essas pessoas me procuraram depois de arrastarem com patologias. Patologias sérias. Eu realmente fiz tratamento espiritual, sem cortes. Faço com as mãos e uso também agulha subcutânea. As entidades aplicam energias sobre as agulhas e fazem desmaterializar as enfermidades”, explicou.