Publicado em 08/08/2018 às 07h31.

Juízes justificam pedido de aumento: ‘Insuportável perda monetária’

As associações que se manifestaram sobre o assunto dizem que não conceder o reajuste é “condenar os magistrados a serem os únicos a sofrerem, sem recomposição, a dureza da inflação”

Redação
Foto: Ricardo Stuckert/ EBC
Foto: Ricardo Stuckert/ EBC

 

Com um pedido de reajuste salarial de 16,3%, juízes e procuradores assinaram um ofício enviado a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) em alegam que a magistratura está sem reajuste desde 2015 “com sensível e insuportável perda monetária acumulada”.

Segundo a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, as nove associações que se manifestaram sobre o assunto dizem que não conceder o aumento é “condenar os magistrados a serem os únicos a sofrerem, sem recomposição, a dureza da inflação”.

Atualmente, um ministro do STF recebe R$ 33,7 mil. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) calculou em 2017 que o gasto médio com um juiz é de R$ 47,7 mil/mês, levando em conta salários e benefícios como o auxílio-moradia, diárias e passagens.