Publicado em 14/04/2018 às 00h01. Atualizado em 14/04/2018 às 00h10.

EUA, França e Reino Unido começam a bombardear a Síria

Operação foi "especificamente associada" às instalações de pesquisa química e locais de armazenamento de produtos químicos, diz o presidente do Estado-Maior Conjunto dos EUA, Joe Dunford

Agência Sputnik Brasil
Foto: AP Photo/Hassan Ammar
Foto: AP Photo/Hassan Ammar

 

A operação foi “especificamente associada” às instalações de pesquisa química e locais de armazenamento de produtos químicos, disse nesta sexta-feira (13) o presidente do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, Joe Dunford.

Três principais locais relacionados a armas químicas foram alvos, bem como um centro de comando, de acordo com o representante das Forças Armadas norte-americanas.

No total, 120 mísseis foram lançados. Cerca de duas vezes a mais do que no ano passado, quando 59 mísseis Tomahawk atacaram o campo aéreo de Shayrat.

As operações já foram concluídas. Novos ataques não devem ocorrer, a menos que Assad use armas químicas novamente, disse o chefe do Pentágono, Jim Mattis.