Publicado em 07/12/2017 às 13h40.

Hamas convoca Intifada após Trump declarar Jerusalém capital de Israel

Vários protestos já foram registrados e pessoas ficaram feridas desde o anúncio do presidente norte-americano

Redação
Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

 

Um dia após Donald Trump anunciar a mudança da embaixada americana de Tel-Aviv para Jerusalém, e reconhecer a cidade como capital de Israel, o grupo islâmico Hamas convocou nesta quinta-feira (7) uma Intifada – nome dado à revolta palestina contra a política de expansão de Israel.

Já foram registrados conflitos entre manifestantes e tropas israelenses em Ramalah e Belém. Também houve protestos em Jerusalém. Algumas pessoas ficaram feridas em diferentes regiões, segundo o jornal israelense Haaretz.

O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, disse que o grupo deve trabalhar “diante do inimigo sionista”.

A decisão de Trump mexe em uma disputa antiga. Palestinos defendem que Jerusalém Oriental seja a capital do seu futuro Estado e a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense de todo o território.

Mesmo com o apelo de líderes de todo o mundo, o presidente norte-americano anunciou na quarta-feira (6) a sua decisão. Em discurso na Casa Branca, ele disse que, com a atitude, reafirma seu “comprometimento” com um “futuro de paz”.

Uma das poucas figuras a aplaudir Trump foi o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que disse que é a marca de “um dia histórico”. Preocupado com revoltas populares, o governo de Israel já solicitou reforços militares na Cisjordânia.

PUBLICIDADE