Publicado em 05/12/2018 às 21h07.

Metade dos venezuelanos que entram no Brasil acaba voltando ao país

Casa Civil apresentou balanço do atendimento a migrantes

Redação
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

 

Pelo menos 300 venezuelanos que entram no Brasil por dia com a intenção de permanecer acabam retornando para seu país de origem. O levantamento foi divulgado nesta terça-feira (5) pelo Comitê Federal de Assistência Emergencial.

Entre os que ficam aqui, apenas 10% – entre 15 e 20 por dia, em média – são considerados desassistidos e precisam de ajuda do governo federal com oferta de abrigo e interiorização.

Segundo a Casa Civil, atualmente há 5.723 venezuelanos acolhidos nos 13 abrigos construídos pelo governo federal em Roraima e geridos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Os abrigados recebem três refeições diárias, kits de higiene e assistem a aulas de Língua Portuguesa. Onze abrigos ficam na cidade de Boa Vista e dois em Pacaraima.

Além dos abrigados, 3.271 imigrantes viajaram para 29 cidades de 13 estados, além do Distrito Federal, no âmbito do processo de interiorização conduzido pelo Ministério da Defesa, com o objetivo de aumentar as oportunidades de trabalho para os imigrantes e reduzir a pressão sobre os serviços públicos de Roraima.

O Ministério da Defesa foi o responsável pela coordenação dos trabalhos. Em março, R$ 190 milhões foram liberados para a Operação Acolhida, em Roraima. Em novembro, foi editada medida provisória liberando mais R$ 75,2 milhões, para garantir a continuidade dos trabalhos até o fim de março de 2019.