Publicado em 17/05/2018 às 15h50.

‘Apartamento estava vazio’, diz delegada sobre imóvel de vereador

Local foi alvo de mandado de busca e apreensão durante operação nacional de combate a pedofilia e pornografia infantil

Breno Cunha / Rodrigo Aguiar
depom coletiva foto breno cunha bahiaba
Foto: Breno Cunha / bahia.ba

 

Em coletiva na tarde desta quinta-feira (17), a delegada Maria Fernanda Porfírio, chefe do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom) da Polícia Civil da Bahia, confirmou que o apartamento alvo de buscas durante operação de combate a pedofilia e pornografia infantil pertence ao vereador Toinho Carolino (Podemos).

No entanto, ela disse que o imóvel estava vazio quando a polícia chegou para cumprir o mandado. “É como se fosse um imóvel para alugar. Digamos que ali tenha um ponto de internet e alguém pode utilizar. Eu não estou dizendo que isso aconteceu. Mas a gente pode, pelas câmeras do edifício, pelos horários em que o vereador estava ou não trabalhando, chegar a uma negativa disso. Para a gente da polícia, que trabalha com investigação – e investigação é coisa séria – a gente não pode afirmar nem negar nada”, declarou a delegada.

Por nota, o vereador afirmou que não mora no apartamento em questão, localizado no bairro do Imbuí, há mais de seis meses. O prazo para finalizar a investigação é de 30 dias, mas pode haver prorrogação.

Presos – A titular do Depom informou ainda que, durante a Operação Luz na Infância 2, deflagrada em 24 estados e no Distrito Federal, foram presas em flagrante cinco pessoas em Salvador, uma na Ilha de Itaparica e uma em Feira de Santana.

Em todo o país, foram presas 197 pessoas em flagrante no até as 15h desta quinta, segundo o Ministério Extraordinário da Segurança Pública.