Publicado em 09/11/2017 às 16h00.

Ex-presidente do PSL minimiza saída de Nilo: ‘Vivemos 11 anos sem ele’

Apesar do comparativo, Antônio Olívio, que comanda o partido em Salvador, disse não ficar chateado com a possível saída do deputado

Alexandre Galvão
Foto: Sandra Travassos/ Alba
Foto: Sandra Travassos/ Alba

 

Ex-presidente do PSL baiano, Antônio Olívio minimizou a provável saída do atual mandatário da sigla, o deputado estadual Marcelo Nilo, para o PSB. Olívio comandava o partido, mas abriu mão do comando em favor do ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). O objetivo era fazer crescer o PSL. No entanto, segundo Olívio, não foi bem isso que aconteceu.

“Primeiro eu ainda não ouvi da boca de Nilo que ele vai sair. Quero ouvir isso dele. Ainda não pensamos na saída dele. Mas vivemos 11 anos sem ele. Não será problema. Quando deixei a presidência do PSL, deixei pensando no crescimento do partido no estado, mas não cresceu. Eu, quando presidente, fiz 152 vereadores. Nilo fez 202. E olhe que eu não tinha órgão nenhum na mão”, lembrou, ao bahia.ba.

Apesar do comparativo, Antônio Olívio, que ainda comanda o partido em Salvador, disse não ficar magoado com a possível saída do político. “Não fico chateado. Ele não saiu ainda, como eu disse. Quero ouvir dele. Ontem almoçamos juntos e ele não disse nada”, garantiu.,

Caso o presidente deixe mesmo a sigla, garante Olívio, a nova presidência será acertada com os membros. “O PSL pertence a um grupo. Temos que sentar com o grupo. Hoje temos o deputado Nelson Leal e o vereador José Trindade. Tanto faz ou fez quem será o presidente”, ponderou.

Idas e Vindas – Apesar de confirmar que está próximo ao PSB, Nilo, em outras oportunidades, disse que permaneceria no PSL. “Minha ideia e tendência é ficar no PSL. Se você tem coligação, você pode ficar em qualquer partido. Minha preocupação era não ter coligação. A chance de se reeleger era mais difícil”, disse ao bahia.ba.