Publicado em 09/01/2019 às 14h27.

Governo Bolsonaro passa a permitir erros em livros didáticos

Mudanças foram feitas para o ensino fundamental 2, do 6º ao 9º ano

Redação
Foto: Reprodução/ Twitter
Foto: Reprodução/ Twitter

 

O governo de Jair Bolsonaro mudou o edital para os livros didáticos que serão entregues no próximo ano. Foi retirado o item que impedia publicidade e erros de revisão e impressão. Além disso, também não será mais necessário que os materiais tenham referências bibliográficas. As mudanças foram feitas para o ensino fundamental 2, do 6º ao 9º ano. A informação é da Folha.

O Ministério da Educação (MEC) adquire livros didáticos para todas as escolas públicas do País, o que acaba garantindo faturamento de muitas editoras.

Os livros, no entanto, já foram enviados em novembro ao MEC para avaliação. Depois da medida do governo, as editoras temem que suas obras sejam reprovadas ou que materiais de baixa qualidade sejam incluídos.

A mudança também abre espaço para conteúdos que não sejam baseados em pesquisas, já que não há necessidade de citação da origem do conteúdo.

Também foi retirada a exigência para as ilustrações retratarem “adequadamente a diversidade étnica da população brasileira, a pluralidade social e cultural do país”. Sendo assim, as figuras presentes nos livros didáticos não precisariam, por exemplo, mais mostrar negros, brancos e índios. Um livro apenas com ilustrações que mostrem crianças brancas seria aprovado.

Mais notícias