Publicado em 14/11/2017 às 19h50.

Lewandowski rejeita delação e critica PGR

Delação premiada do marqueteiro Renato Pereira, que trabalhou para o PMDB, foi considerada demasiadamente benéfica pelo ministro

Redação
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

 

O ministro do STF, Ricardo Lewandowski, recusou a delação premiada do marqueteiro Renato Pereira, que trabalhou para o PMDB.

De acordo com Lewandowski, a PGR não poderia ter negociado por conta própria a pena a ser cumprida por Pereira e a multa estipulada, R$ 1,5 milhão, foi considerada como baixa. A PGR poderá reapresentar o pedido de homologação, que será novamente analisado pelo ministro.

Em sua delação, Renato Pereira denunciou suspeitas de crimes em campanhas do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e do ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (PMDB), do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e irregularidades em licitações ligadas ao presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf (PMDB).