Publicado em 28/12/2018 às 10h55.

Mãe Stella é patrimônio da Bahia. No mérito, se foi deixando o bom recado

E é assim que prevalecerá na história

Levi Vasconcelos

Frase da vez

“O coração é uma riqueza que não se vende nem se compra. Presenteia-se”

Gustave Flaubert, escritor francês (1821-1880)

Foto: Terreiro Afonjá
Foto: Terreiro Afonjá

 

Pelo que representou como sacerdotisa do candomblé, pelo símbolo que se tornou como líder religiosa, Mãe Stella de Oxóssi, também pelo respeito que impunha com a força moral das palavras, tornou-se um ícone da Bahia.

Confinar o velório a uma Câmara de Vereadores, no caso, a de Nazaré, com todo respeito aos nazarenos, é muito menor do que ela. Dona Grazielle Domini, a companheira dela, por ser tutora, achou-se também dona do corpo e chegou a chamar a polícia, em Santo Antonio de Jesus, para impedir a transferência para Salvador.

Ou seja, um caso que começou com polícia entrou pela justiça.

Mãe Stella não merecia isso. Oscar Niemayer dizia que a vida é assim, cada um vem, dá o seu recado e vai embora. E é claro que o recado tem hierarquia. Ela deu o bom recado.

Ela é maior, é patrimônio da Bahia. E é assim que prevalecerá na história.

Levi Vasconcelos

Levi Vasconcelos é jornalista político, diretor de jornalismo do Bahia.ba e colunista de A Tarde.

Mais notícias