Publicado em 11/01/2017 às 17h29.

Otto diz que espaço do PSD em minirreforma de Rui ‘não está definido’

Especulações apontam que partido poderia assumir Secretaria Estadual de Urbanismo (Sedur); nomes de José Rebouças e Fernando Torres circulam nos bastidores

Evilasio Junior
Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy/ Agência Senado

 

Presidente estadual do PSD, o senador Otto Alencar afirmou nesta quarta-feira (11) ao bahia.ba que “ainda não está definido” o espaço que o partido poderá ocupar na minirreforma administrativa a ser anunciada pelo governador Rui Costa (PT) (veja aqui, aqui e aqui).

Ele admite que a legenda se dispôs a “indicar pessoas que pudessem colaborar com o governo”, mas assegura que ainda não foi chamado pelo chefe do Executivo para bater o martelo. “Nós não estamos pressionando o governador. Estou aguardando. O que ele me disse é que deve conversar conosco entre quarta e quinta-feira”, disse o parlamentar, ao ponderar que “soube” que o próprio anúncio oficial do governador só deve ocorrer no fim da próxima semana.

Otto admitiu que os cinco deputados federais da legenda – Antônio Brito, Fernando Torres, José Nunes, Paulo Magalhães e Sérgio Brito – estiveram com Rui na semana passada, mas não teria ocorrido qualquer deliberação a respeito de cargos. “Os deputados, de fato, solicitaram maior atenção ao governador aos seus pleitos. Todos foram fiéis na votação contra o impeachment e não têm mais nada no governo. Perderam todos os cargos que tinham para Geddel. Codeba, Dnocs etc.”, pontuou o senador.

Segundo Otto, os nomes que circulam nos bastidores referentes à possibilidade de a sigla indicar o novo secretário estadual de Urbanismo são “especulações”. “Não sei de onde tiraram o nome de José Rebouças, talvez seja porque é muito ligado a mim. Quanto a Fernando Torres assumir a Sedur, também não estou sabendo de nada”, declarou.

O atual titular da pasta, Carlos Martins, é cotado para assumir a Casa Civil, em substituição a Bruno Dauster, o que ele também não confirma.