Publicado em 20/04/2019 às 17h00.

Otto elogia aproximação de Wagner e Alcolumbre e pede fim do ‘confronto’ no país

"Ele sabe que, se não houver soluções por posições moderadas, elas não virão por posições exaltadas”, afirmou senador

Rodrigo Aguiar
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

 

A aproximação do senador Jaques Wagner (PT) com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), foi elogiada pelo colega Otto Alencar (PSD).

“Ele sabe, como qualquer brasileiro sensato, que, se não houver soluções por posições moderadas, elas não virão por posições exaltadas”, afirmou.

Otto disse integrar um grupo de aproximadamente 40 senadores que têm se reunido periodicamente para discussões sobre o país.

“O atual presidente foi ferido de morte, felizmente sobreviveu, e o confronto não parou ainda. Existe essa situação de duas posições de esquerda e direita se digladiando. Se não tiver alguém com juízo…Não tenho bons presságios para 2019 se esse confronto continuar”, declarou.

O senador também criticou o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, por “levar para dentro” da Corte uma questão pessoal, no episódio da censura, posteriormente revogada, aos sites O Antagonista e da revista Crusoé.

Otto disse que sua expectativa é pelo arquivamento do inquérito aberto pelo STF para apurar fake news e ofensas contra ministros da Corte.

Para o parlamentar, Supremo quer “investigar pessoas que fazem críticas” ao tribunal. “Se eles quiserem se preservar como uma Corte de equilíbrio, vão arquivar esse inquérito”, defendeu.