Publicado em 19/07/2017 às 07h10.

Pós em ‘esquerdismo’ tem Dilma e Stédile como professores

O teólogo Leonardo Boff, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, e o sociólogo Emir Sader também estão no corpo docente

Redação
Foto: Reprodução/Reuters
Foto: Reprodução/Reuters

 

Com vagas para 50 pessoas, o curso de pós-graduação em “esquerdismo” tem batido recordes na cidade de Chapecó, em Santa Catarina. Idealizada pelo deputado federal Pedro Uczai, a capacitação terá como professores a ex-presidente Dilma Rousseff e o líder nacional do MST, João Pedro Stédile.

A petista é anunciada, ao lado do ex-governador gaúcho e colega de partido, Olívio Dutra, como titular da matéria “Partidos Políticos e a Esquerda Brasileira”. Outras disciplinas tratam, por exemplo, de luta de classes, teoria revolucionária e agenda ambiental.

“O objetivo é parar, sistematizar e compreender as experiências históricas no país e na América Latina”, diz o idealizador, que também leciona na pós. “Principalmente agora, com a quebra do processo democrático no Brasil [impeachment]. Vamos refletir criticamente. Não é para puxar saco do PT ou de alguém do nosso governo”, afirmou, à Folha.

“Tem que fazer autocrítica”, diz a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), outra professora: “Política e história não podem ser dogmas. É preciso sempre discutir erros e acertos.”

O teólogo Leonardo Boff, o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, Guilherme Boulos, e o sociólogo Emir Sader também estão no corpo docente.

PUBLICIDADE
Temas: curso , dilma , Esquerdismo , PCdoB , PT , Stédile

Mais notícias