Publicado em 17/09/2020 às 15h17.

Agosto foi mais mortal em 18 anos, apesar de menor número de óbitos por Covid-19

Cartórios de Registro Civil indicam que 8,3 mil pessoas morreram na Bahia no mês de agosto, 28,3% a mais que o mesmo período de 2019

Redação
Foto: Divulgação/Semop
Foto: Divulgação/Semop

 

O mês de agosto foi o mais mortal na Bahia em 18 anos. Dados catalogados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e pelo Portal da Transparência dos Cartórios de Registro Civil indicam que 8.365 pessoas morreram no mês passado, 28,3% a mais do que os 6.514 registrados no mesmo período de 2019.

O número é o mais alto desde quando foi iniciada a série histórica, em 2002. Em todo o país, o número de óbitos em agosto passa de 127 mil, de acordo com o portal.

Apesar do resultado, o mesmo mês de agosto acumulou menor número de registros de óbitos por coronavírus. Em julho, foram registradas 1.751 mortes, quando no mês passado o número caiu para 1.207.

Queda também no total de óbitos por doenças respiratórias no Brasil, que em agosto foram 2.862 mortes, menor número desde maio. Em julho, foram 3.603 óbitos. A diferença é de 20,4%.

De acordo com a Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), de todas as mortes registradas em agosto de 2020, 1.207 têm como causa Covid-19 (14,4% do total). Se consideradas mortes por doenças respiratórias, como insuficiência, pneumonia, septicemia, Síndrome Respiratória Aguda Grave, o número passa para 1.653 óbitos (19,7%). Os demais óbitos foram causados por Acidente Vascular Cerebral, Infarto, causas cardiovasculares inespecíficas e outras causas naturais.