Publicado em 08/04/2016 às 08h40.

Cacique tupinambá é preso por porte ilegal de arma em Olivença

Índio teria reagido a uma reintegração de posse, no Sul da Bahia, e foi preso junto com o irmão por porte ilegal de arma

Redação

cacique-babau

 

Uma ação de reintegração de posse em Olivença, no sul da Bahia, acabou em confusão na última quinta-feira (7). Segundo informações da Polícia Federal, o cacique Rosivaldo Ferreira da Silva, conhecido como Babau, estava armado e reagiu a chegada dos agentes da polícia em uma fazenda ocupada por índios da tribo Tupinambá. Junto com Babau e o irmão dele, que também foi detido, foram apreendidos um revólver calibre 38, uma pistola e munições.

Em depoimento ao G1, o advogado da comunidade indígena, Valdir Mesquita, negou a existência das armas e sinalizou a existência de uma armação para incriminar o cacique: “O Babau informa que estava fazendo um ritual, um trabalho em uma aldeia vizinha de Olivença. Depois disso, Babau resolveu ir para casa dele de carro, junto com o irmão, quando a polícia atravessou as viaturas na estrada e o carro bateu, porque não tinha outra alternativa. Pegaram Babau, colocaram dentro de um carro, o irmão em outro [carro] e no caminho, mais a frente, juntaram os dois, levaram para a delegacia, apresentando a existência de armas que nunca existiram dentro daquele carro”, relatou Mesquita.

Já segundo a Polícia Federal, ao chegar na fazenda, que passava por reintegração de posse a favor de um produtor rural, desde a última quarta-feira (6), a PM foi recebida pelos índios a tiros e pedradas e que o cacique Babau teria tentado fugir em um carro, iniciando uma perseguição que terminou na detenção do cacique e de seu irmão por porte ilegal de arma. Eles ainda podem responder por resistência à ordem judicial e dano ao patrimônio privado, por ter depredado um maquinário do produtor rural e as viaturas da polícia.

PUBLICIDADE