Publicado em 18/12/2015 às 17h20.

Celular roubado será bloqueado pela polícia na Bahia

Polícia Civil baiana é a primeira no país a utilizar sistema que inutiliza aparelhos cadastrados em situações de furto ou roubo

Redação
Foto: Reprodução/ Agência Brasil
Foto: Reprodução/ Agência Brasil

 

O Cadastro de Estações Móveis Impedidas (Cemi) é a nova arma da Polícia Civil da Bahia (PC) para conter o avanço das ocorrências de furto e roubo de celulares no estado. Segundo a corporação, o sistema, anunciado nesta sexta-feira (18), bloqueia e inutiliza o equipamento extraviado após a notificação do Boletim de Ocorrência (BO).

O local escolhido para implantação do programa foi a sede do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), localizado no bairro da Piedade, no centro de Salvador. A equipe escolhida para utilizar o Cemi foi treinada na sede da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR-Telecom), no Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com a polícia, “na primeira fase, serão bloqueados apenas aparelhos sem vinculação com linhas telefônicas, que ainda não foram habilitados, oriundos de roubos de cargas ou assaltos em lojas de varejo. As ocorrências serão registradas em qualquer delegacia da Bahia e em seguida encaminhadas ao Núcleo de Estações Móveis Impedidas (Nemi), que efetuará o bloqueio dos aparelhos”.

Ocorrências – Um levantamento realizado pelo DCCP apontou que os telefones celulares são a principal “moeda de troca” utilizada pelo crime no estado e principal motivador de ataques aos passageiros de ônibus, clientes em restaurantes e assaltos a grandes varejistas.

O delegado Moisés Damasceno, diretor do departamento, explicou que “o dado levou a Segurança Pública a pensar estratégias para bloquear o aparelho e torná-lo inutilizável para o possível receptador”.

Após a implantação na Bahia, São Paulo, Espírito Santo e Mato Grosso passarão a utilizar o serviço.

Temas: celular , cemi , dccp , furto , nemi , pc , polícia civil , roubo