Publicado em 20/10/2019 às 19h30.

Cerimônia em louvor à Santa Dulce foi uma ‘grande ação de graças’, diz Dom Murilo

Para o religioso católico, a cerimônia na Arena Fonte Nova reuniu milhares de pessoas que são "pedrinhas nesse mosaico de amor que forma o rosto de Jesus Cristo"

André Carvalho / Chayenne Guerreiro
Foto: Chayenne Guerreiro/bahia.ba
Foto: Chayenne Guerreiro/bahia.ba

 

O arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, dom Murilo Krieger, disse nesse domingo (20), que a celebração em homenagem a canonização de Santa Dulce dos Pobres na capital baiana foi uma “grande ação de graças”. Para o religioso católico, a cerimônia na Arena Fonte Nova reuniu milhares de pessoas que são “pedrinhas nesse mosaico de amor que forma o rosto de Jesus Cristo”.

Dom Murilo ressaltou a importância do encenação da espetáculo “Império de Amor”, que levou ao palco 700 atores, sendo 482 crianças e adolescentes e contou com a participação dos cantores Saulo, Margareth Menezes, Waldonys, Tuca Fernandes e o padre Antônio Maria.

“Essa encenação que acabamos de ver não foi um teatro, foi vida. Porque ela foi apresentada por pessoas que hoje são beneficiadas pelas Obras Sociais de Irmã Dulce”, afirmou. “Isso que toca mais de perto: saber que as obras tocou que ela estão vivas.”

Para ele, Santa Dulce deixou em Salvador “muitas Dulces” já que a vivem na cidade “muitos pobres que continuam precisando de nossa atenção e nosso carinho”. Dom Murilo ainda frisou que o principal legado do “Anjo Bom da Bahia” foi o amor. “Ela deixou uma mensagem de amor, porque servia aos pobres e servir é uma das expressões mais fortes do amor.”

PUBLICIDADE

Mais notícias