Publicado em 08/12/2015 às 09h20.

Chuva alivia situação do reservatório Sobradinho

Redação
Sobradinho é o maior reservatório do Nordeste. Foto: Chesf
Sobradinho é o maior reservatório do Nordeste. Foto: Chesf

O início do período úmido na região norte do estado já sinaliza alguma esperança para quem depende das águas do reservatório de Sobradinho. A estimativa inicial era que, em dezembro, o reservatório entraria em volume morto mas, de acordo com técnicos da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) e moradores da área, a situação começa a ser revertida e o Sobradinho está recebendo mais água do que distribuindo, estabilizando o volume útil em 1%, conforme considerou o diretor de operação da Chesf, José Ailton de Lima, em entrevista ao G1. Apesar do resultado inesperado, o nível de água é o pior da história. Antes de 2015, o menor nível registrado foi de 5,3%, percentual identificado em 2001.

A boa notícia é que a região que envolve o reservatório está no período de chuva, que deve durar até maio de 2016. Sobradinho é o maior reservatório do Nordeste e foi criado em 1979 para funcionar com vazão de 2.060 metros cúbicos por segundo (m³/s). Entretanto, devido à pior seca dos últimos 80 anos, a sua vazão vem sendo reduzida gradualmente.

Governo busca recursos – A busca de recursos para viabilizar ações de enfrentamento à estiagem é umas das missões do governador Rui Costa, em Brasília, nesta terça-feira (8). Pela manhã, Rui se reúne com o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, para apresentar as demandas da Bahia e buscar os recursos federais necessários para essas ações emergenciais no interior do estado.

À tarde, será a vez do ministro da Integração, Gilberto Occhi, receber o governador Rui Costa para tratar de demandas ligadas à recuperação do açude do Rio Cariacá, no município de Monte Santo, e ações na região do São Francisco, como o Sistema Integrado de Abastecimento de Água (SIAA) da cidade de Campo Alegre de Lourdes.

Entre as demandas urgentes apresentadas aos ministros, estão a implantação de adutoras e sistemas de abastecimento para consumo humano, perfuração de poços, ampliação da capacidade de reserva de água e contratação de carros-pipa para municípios em situação de emergência em razão da estiagem.

Na Bahia, 151 municípios estão em situação de emergência por conta da seca.

 

PUBLICIDADE

Notícias relacionadas