Publicado em 22/01/2016 às 07h56.

Chuva deixa desabrigados em Riachão do Jacuípe nesta sexta

A previsão do Inema para os próximos dias na Chapada Diamantina, Vale do São Francisco, norte, oeste, sudoeste e sul é de tempo chuvoso

João Brandão
Cidade de Riachão do Jacuípe amanheceu alagada
Cidade de Riachão do Jacuípe amanheceu alagada

 

A chuva forte que caiu na madrugada desta sexta-feira (22) deixou dezenas de famílias desabrigadas, em Riachão do Jacuípe, no centro-norte da Bahia. A informação é dos próprios moradores. O funcionário público Hugo Dantas, 41, disse, ao bahia.ba, que perdeu quase todos os móveis. “Consegui salvar algumas coisas. A chuva chegou de repente a 1h da manhã. Pouco depois, a água já estava a 10 metros de altura”, contou o servidor, que reside na Rua Dom Pedro I, tomada, parcialmente, pela água. Contatada pela reportagem, a Defesa Civil do Estado disse desconhecer a situação.

“Dessa vez é pior” – O secretário de Administração de Riachão, Valfredo Junior, em contato com o bahia.ba, informou que a prefeitura já está nas ruas para recolher as pessoas que ficaram desabrigadas. “Eles estão sendo levados para o ginásio de esporte, posto de saúde e outros locais. O primeiro momento é de doar mantimentos, cestas básicas, roupas, cobertores, depois a gente pensa em ajudar financeiramente”, afirmou, sem saber precisar ainda o número de pessoas atingidas pelo temporal. No dia 6 de janeiro, o rio que corta a cidade transbordou depois do mau tempo e cerca de 60 famílias tiveram que deixar as suas casas. “Dessa vez é bem pior”, concluiu Junior.

Oeste – O município de Santa Rita de Cássia, no extremo oeste baiano, teve nesta quinta-feira (21) o maior registro de precipitação pluviométrica na região: 115,2 mm. O dado é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) que, nos primeiros 21 dias do ano, contabilizou 553,4 mm de chuva na cidade – a média histórica para o mês de janeiro nos últimos 30 anos é de 149,2 mm. A tromba d’água encheu o Rio Preto e deixou partes mais baixas da cidade com áreas inundadas.

Em Barreiras, também no extremo oeste, a média histórica de 205,4 mm em janeiro foi ultrapassada, de acordo com o jornal A Tarde. Segundo o Inmet, nesta quinta choveu 57,1 mm e o acumulado do mês já é de 373,4 mm.

A previsão do departamento de meteorologia do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) para os próximos dias, não só no oeste, mas também na Chapada Diamantina, Vale do São Francisco, norte, sudoeste e sul é de tempo chuvoso, por influência de uma Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS).

A previsão do Inema é de mais chuva na Bahia
A previsão do Inema é de mais chuva na Bahia

Mais notícias