Publicado em 23/12/2015 às 14h00.

‘Cinza’: filme mostra a dura realidade de brigadistas da Chapada

Em pouco mais de sete minutos, documentário aborda a falta de monitoramento dos incêndios que destroem uma das principais riquezas da Bahia

Hieros Vasconcelos

Já está disponível para ser visto no Youtube o documentário “Cinza”, produzido pelos cineastas Alvaro Ribeiro e Victor Uchôa.

O curta mostra a difícil realidade dos brigadistas que combatem os incêndios que tem devastado a Chapada Diamantina desde o dia 11 de setembro.

Com uma câmera solta , os cineastas acompanharam o trabalho de alguns brigadistas de Lençóis, apelidada de capital da Chapada, e registraram a preocupação deles com as nascentes dos rios responsáveis por centenas de cachoeiras, principais riquezas naturais da região.

Além disso, os brigadistas alertam que os incêndios prejudicam também o Rio Paraguaçu, responsável pelo abastecimento de 60% da população da Região Metropolitana de Salvador. Para se ter uma ideia do problema, o fogo já consumiu a vegetação de várias nascentes e afeta um projeto de revitalização da bacia do Paraguaçu, conforme já noticiado pelo bahia.ba.

O doc também faz duras críticas ao governo do Estado e à falta de monitoramento do fogo na região. Segundo os brigadistas, o governo só aparece quando as chamas estão espalhadas, duas horas depois dos primeiros focos terem sido identificados. A falta de equipamento e de aeronaves na região também acaba prejudicando o combate.

O brigadista voluntário Ramiro Barbosa desabafa: ‘A Secretaria de Meio Ambiente nunca fez um plano efetivo na Chapada e ignorou vários projetos. Só aparece quando a emergência está instalada. O mau uso do dinheiro público é notório”.

Como não podia deixar de ser, os agradecimentos são direcionados aos verdadeiros heróis da Chapada: os brigadistas e voluntários. “A todos os voluntários que encaram o fogo de frente para proteger nosso patrimônio enquanto os governantes viram a cara e só aparecem quando o verde vira cinza”, finaliza o documentário.

Assista o documentário de Alvaro Ribeiro e Victor Uchôa: