Publicado em 19/11/2015 às 16h15.

Consórcio de Saúde vai atender 16 municípios da região de Jequié

Os consórcios ficam responsáveis pela gestão regionalizada de serviços: unidades de pronto atendimento, laboratórios regionais, Samu e hospitais municipais

Redação

Prefeitos de 16 municípios da região de Jequié assinaram na tarde desta quinta-feira (16) protocolo de intenções para implementação do consórcio de saúde na região. Pelo executivo estadual, estiveram presentes o vice-governador, João Leão (PP), e o secretário de Saúde, Fabio Vilas-Boas.

Conforme Vilas-Boas, serão investidos pelo governo mais de R$ 200 milhões por ano em consórcios de saúde, que ajudarão a regionalizar a assistência à saúde e à criação de policlínicas.

O consórcio, que funciona em parceria com o estado, propõe um modelo de financiamento e gestão dos serviços de saúde com o intuito de descentralizar a assistência de média complexidade, diminuindo os custos dos município.

”Este é um projeto vencedor. O governador avaliou como exitosa a experiência deste modelo no estado do Ceará e abraçou a ideia. O estado vai entrar com 40% dos custos de manutenção das policlínicas, além da construção das mesmas” disse o secretário Fabio Vilas-Boas.

O consórcio público de Saúde de Jequié vai atender aos municípios de Barra do Rocha, Cravolândia, Dário Meira, Ibirataia, Itagí, Itaquara, Itagibá, Itamari, Itiruçu, Jaguaquara, Jequié, Lafaiete Coutinho, Lajedo do Tabocal, Planaltino, Santa Inês, Irajuba. A implantação depende agora de aprovação em assembleia geral do regimento e da eleição do presidente. Depois, serão firmados os contratos de programa e de rateio.

Policlínica – No modelo, o estado fica responsável pela construção e aquisição dos equipamentos das unidades, além de co-financiar até 40% da manutenção, enquanto os municípios consorciados irão ratear o restante. Os consórcios ficarão responsáveis pela gestão das 28 policlínicas construídas pelo governo do estado, com até 13 especialidades, 32 serviços e equipamentos – a exemplo de tomógrafos e de ressonância magnética – para rastreamento de câncer de mama e outros exames.

O governador não pôde participar do ato de assinatura já que estava em Brasília para agenda institucional.

(Com informações de Julio Reis)

Temas: saúde

Mais notícias