Publicado em 28/11/2015 às 06h00.

Dezesseis pessoas resgatadas em condição de trabalho escravo

Grupo era transportado em um caminhão-baú, junto com mercadorias que seriam vendidas em Minas Gerais

Redação

O resgate aconteceu durante a madrugada desta sexta-feira (27), próximo a cidade de Feira de Santana, por auditores fiscais do Trabalho.  Os 16 trabalhadores eram transportados dentro de um caminhão-baú, em condições degradantes. Eles dividiam o espaço com mercadorias, que ocupavam 80% da área. Apenas duas janelas de pequenas dimensões garantiam a circulação do ar, o que tornava a ventilação insuficiente e deixava o ambiente abafado.

Os trabalhadores estavam deitados e soltos no baú, sem qualquer segurança que garantisse a integridade física, ocasionando risco de asfixia e esmagamento pela carga. O caminhão foi interceptado no Km 386, da BR-116, após abordagem da Polícia Militar e a irregularidade foi constatada durante a inspeção.

Os 16 trabalhadores foram aliciados na cidade de Malta-PB, pelo dono do caminhão e das mercadorias e seriam transportados até à cidade de Governador Valadares-MG. A previsão era de que eles permanecessem em torno de quatro meses por lá vendendo redes, tapetes e artesanatos.

A situação foi caracterizada como análoga a escravo pelas condições degradantes a que estavam submetidos os trabalhadores. Os auditores fiscais que participaram da ação providenciaram o transporte do grupa em uma van, de Lamarão até a Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Feira de Santana para ouvir os depoimentos e dar prosseguimento à ação que ainda está em curso.

Os custos com hospedagem, alimentação e transporte para a localidade de origem ficarão a cargo do dono do caminhão, que está disposição da Justiça.