Publicado em 09/11/2015 às 12h10.

Eleição na OAB: Primavera dos Sonhos

Marcos Sampaio

A Primavera Árabe serviu para consolidar a democracia na Tunísia e, em consequência do êxito alcançado, rendeu a Ordem dos Advogados daquele país uma justa homenagem e um reconhecimento internacional singular: o Nobel da Paz do ano de 2015 “por sua contribuição decisiva para a construção de uma democracia plural”.

Apesar de revezes súbitos em outros países, o avanço na Tunísia deveu-se a uma transição fundada numa sociedade civil dinâmica, com demandas por serviços aos direitos humanos e fundamentais. Nessa quadra, os advogados se ombrearam as demais organizações da comunidade numa luta em prol da vida política e social.

A reflexão sobre esse fato explica porque a eleição para os quadros dirigentes da Ordem dos Advogados do Brasil (que ocorrerá na segunda quinzena de novembro/15 nos âmbitos nacional, estadual e em cada subseção municipal), sempre ocupa relevante espaço de debate na sociedade como um todo.

A OAB não tem sua atuação limitada à atuação corporativa e regulatória da classe dos advogados, mas corporifica propósitos sociais amplos, colocando-se como um dos mais visíveis faróis da sociedade brasileira. A história do Brasil mostrou seu papel no restabelecimento da democracia; na elaboração da Constituição Cidadã; no impeachment de Collor e na defesa intransigente dos direitos humanos.

Espera-se que os futuros eleitos saibam que não poderão recusar o amplo debate sobre a grave crise política e econômica do país e avancem no dever de assumir a liderança civil pelo restabelecimento da estabilidade sócio-política na nação. Esse perfil – que já marca alguns dos atuais dirigentes – contagia os advogados e a sociedade que sempre espera muito da OAB.

Por isso, vencerão as eleições na OAB aqueles que melhor representem a primavera de sonhos de uma sociedade brasileira que anseia voltar a crescer, retomar uma agenda política altaneira com punição dos culpados, e com respeito aos direitos sociais e de liberdade.

Marcos Sampaio

Marcos Sampaio é advogado, procurador do Estado da Bahia, professor da Faculdade Bahiana de Direito e da Faculdade de Direito da Unifacs.

PUBLICIDADE
Temas: advogados , eleições , OAB