Publicado em 21/10/2020 às 22h00.

Idoso e outros 36 trabalhadores são resgatados de trabalho análogo ao escravo

Trabalhadores recebiam entre R$ 350 e R$ 950 por mês, conforme a função desempenhada

Redação
Foto: Divulgação/Subsecretaria de Inspeção do Trabalho
Foto: Divulgação/Subsecretaria de Inspeção do Trabalho

 

Um idoso de 67 anos e outros 36 trabalhadores foram resgatados de trabalhos onde eram mantidos em situação análoga à escravidão na Bahia. Segundo a Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), as pessoas viviam em barracos sem cozinha, instalações sanitárias, camas apropriadas, água potável e energia elétrica. A operação foi realizada nas cidades de Várzea Nova, Jacobina e Mulungu do Morro.

No local, foi constatado que os trabalhadores utilizavam uma água de coloração amarelada para beber e cozinhar. Para preparar a alimentação eram utilizados fogareiros construídos no chão da roça ou do barraco. Para dormir, os homens utilizavam pedaços de espumas colocadas no chão ou em cima de varas de madeira. Alimentos e objetos pessoais ficavam no chão. As necessidades fisiológicas eram feitas em uma área de vegetação.

Os trabalhadores recebiam entre R$ 350 e R$ 950 por mês, conforme a função desempenhada.

Temas: Bahia , SIT