Publicado em 12/01/2016 às 14h59.

Lama perto de Abrolhos é da Fibria; Samarco é só boato

Revolta é geral, principalmente no trade turístico, que emprega mais dez mil pessoas na área

Levi Vasconcelos
Manchas seriam restos de árvores e detritos da chuva | Foto: Manu Dias/ GOVBA
Manchas seriam restos de árvores e detritos da chuva | Foto: Manu Dias/ GOVBA

 

No mar do extremo sul da Bahia, nas cercanias do arquipélago de Abrolhos, tem lama flutuando, sim. Mas nada a ver com a Samarco. A vilã do caso é a Fibria Celulose, antiga Aracruz, apontada por dez entre dez moradores de Nova Viçosa.

Há mais de 12 anos ela retira do canal do Tomba, em Caravelas, 280 mil metros cúbicos de sedimentos e agora recebeu autorização do Ibama para tirar mais 480 mil. A revolta é geral, principalmente no trade turístico, que emprega mais dez mil pessoas na área.

A lama da Fibria, que já causa muitos transtornos, com a sujeira nas praias e a suspeita de danos ao meio ambiente, puxou a boataria em torno da lama da Samarco e o turismo foi quem pagou o pato, como diz Lucenilde Araújo, presidente da Associação de Hotéis, Bares e Restaurantes de Viçosa: “Foi muito ruim. Teve muita gente cancelando reservas. A Fibria não nos rende um único centavo de impostos. Só nos traz problemas. A balsa dela não é uma embarcação qualquer, é um transatlântico. Ela joga os dejetos da dragagem a dois quilômetros da praia e a depender da maré, volta tudo, sujando a areia. Para nós, fica o bagaço”.

No MPF – A lama é uma espécie de plumagem. Lucenilde conta que há mais de um ano o trade turístico formulou denúncia no Ministério Público Federal, em Teixeira de Freitas, mas agora está sem resposta. “Imagine você. Se a Fibria tirou 280 mil metros cúbicos de sedimentos já nos deu tantos problemas, imagine agora, que vai tirar 480 mil”, alerta.

Jaqueline de Souza, dona da Agência Horizonte Alerta, de Caravelas, que faz passeios de barco para Abrolhos, diz que os boatos sobre a lama da Samarco afetaram em cheio os negócios. “Mesmo a gente garantindo que a água está cristalina, que a lama da Samarco é um boato infundado, muitos preferiram cancelar. O trade está se articulando para contratar exames independentes.
Ela diz que a lama da área costuma sair do canal do Tomba. Na área, há várias ONGs, todas caladas. E, apesar das sucessivas denúncias, ninguém foi lá verificar a situação”, protestou.

Como chocolate – A Fibria diz que faz o descarte dos sedimentos nos limites das áreas autorizadas pelo Ibama, mas os pescadores reclamam que o pesqueiro também baixou o estoque. Ou seja, há menos peixes. A Secretaria do Meio Ambiente de Nova Viçosa preparou um laudo que mandou para o MPF e secretarias estaduais do Meio Ambiente e do Turismo.

Segundo a secretária Carla Beatriz Duarte, o laudo não é conclusivo, mas há fortes indícios apontando na direção da Fibria: “Também não podemos dizer até que ponto os sedimentos impactam a vida nos corais. Mas aqui em Viçosa todo mundo diz que a empresa é culpada pelos transtornos, com razão. A depender do vento e das marés, as praias ficam cheias de lama, uma lama espumosa. Quem vai se banhar sai do mar parecendo ter tomado um banho de chocolate”.

No fim da tarde desta terça-feira (12) haverá uma reunião em Caravelas para discutir o assunto. O trade turístico, que sempre queixou-se de estar alijado das discussões sobre o caso, desta vez foi convidado.

Temas: abrolhos , fibria , lama , mancha , samarco


Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.