Publicado em 17/01/2020 às 21h20.

Morte de criança em piscina alerta para cuidados durante o verão

É nessa época que aumentam os índices de afogamentos de crianças, tanto em piscinas quanto nas praias

Rayllanna Lima
Foto: João Ubaldo/Fotos Públicas
Foto: João Ubaldo/Fotos Públicas

 

A morte da criança de 9 anos, em Teixeira de Freitas, achada no fundo da piscina de um condomínio, deixou pais e tutores baianos em alerta: os cuidados durante as férias de verão. É nessa época que aumentam os índices de afogamentos de crianças, tanto em piscinas quanto nas praias. Ao longo de 2019, foram registradas 32 mortes de crianças, todas por afogamentos. Desse total, dois ocorreram em piscinas.

Os dados, contudo, são menores ao registrado em 2018. De acordo com levantamento enviado pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) à Tribuna, em 2018 o órgão notificou 42 mortes por afogamentos em crianças menores de 10 anos de idade. Em piscinas, o número se manteve em duas ocorrências. De 2010 a 2019, foram 542 crianças mortas por afogamento.

À reportagem, o tenente Joel Adriano, do Corpo de Bombeiros, compartilhou alguns dos principais cuidados que devem ser tomados com crianças em qualquer ambiente aquático. “Nunca deixar as crianças sozinhas. A supervisão de um adulto é importante, pois elas ‘cegam’ qualquer pessoa em um piscar de olhos. Uso de coletes salva vidas é o equipamento mais seguro para evitar o afogamento. Boias e outros materiais flutuantes podem virar a qualquer momento”, pontuou.

O tenente reforça que aconselhar que as crianças nadem sozinhas “é perigoso”. “Muitos casos de afogamentos acontecem com pessoas que acham que sabem nadar”, acrescentou, que também se deve orientar s crianças a não correr, empurrar ou pular em outras crianças, nem mesmo pular na piscina de ponta cabeça.

“Outra coisa importante. É imprescindível ficar atento! Crianças pequenas podem se afogar em qualquer recipiente com mais de 2,5cm de água ou outros líquidos, em locais como banheira, pia, vaso sanitário, balde. “A piscina deve ser protegida com cerca de no mínimo 1,5m de altura e portões com cadeados”, disse o tenente Joel.

PUBLICIDADE