Publicado em 27/10/2021 às 07h37. Atualizado em 27/10/2021 às 07h43.

Operação Invólucro mira grupo acusado de sonegar R$ 15 milhões

Força-tarefa é integrada por órgãos especializados da Polícia Civil, Secretaria da Fazenda e Ministério Público

Redação
Foto: Tony Silva/AscomPC
Foto: Tony Silva/AscomPC

 

Uma sonegação fiscal de R$ 15 milhões é o resultado de crimes financeiros alvo da Operação Invólucro, realizada na manhã desta quarta-feira (27). A força-tarefa investiga um grupo empresarial do segmento de embalagens plásticas com atuação em Salvador e Região Metropolitana.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito criava empresas em nome de laranjas. Pessoas sem condições econômicas e financeiras eram incluídas no quadro de sócio dos diversos estabelecimentos criados.

Em seguida, segundo a Operação Invólucro, estas organizações eram abandonadas. Mas outras empresas eram criadas, no mesmo segmento de mercado, deixando para trás débitos tributários. Enquanto isso, o verdadeiro gestor do grupo permanecia blindado.

A força-tarefa da Invólucro é formada pela Delegacia de Crimes Econômicos e Contra a Administração Pública (Dececap), Coordenação Especializada de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Ceccor/LD) e Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), pela Polícia Civil.

O grupo conta também com a Promotoria Regional de Combate à Sonegação Fiscal e Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (Gaesf), do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e Inspetoria Fazendária de Investigação e Pesquisa (INFIP), da Secretaria da Fazenda.



Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.