Publicado em 24/09/2021 às 11h17.

Eduardo critica passaporte sanitário: ‘Tomei a 1ª dose e contraí a Covid-19’

Deputado foi diagnosticado com a doença nesta sexta-feira (24)

Redação
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

 

Após revelar que testou positivo para a Covid-19, nesta sexta-feira (24), o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) voltou a criticar o passaporte sanitário, utilizado para comprovar a situação vacinal da população.

“Sabemos que as vacinas foram feitas mais rápidas do que o padrão. Tomei a 1ª dose da Pfizer e contraí Covid-19. Isso significa que a vacina é inútil? Não creio. Mas é mais um argumento contra o passaporte sanitário”, disse Eduardo por meio da sua conta oficial no Twitter.

Criado como medida para evitar a disseminação do coronavírus em estabelecimentos e eventos, o passaporte sanitário foi adotado em mais de 200 cidades brasileiras. O documento é emitido somente para cidadãos que estão com o esquema vacinal completo.

“Em Nova York deu negativo [um teste que ele realizou], aqui no Brasil 2 dias depois positivou. O meu caso e do Queiroga são exemplos que descredibilizam o passaporte sanitário”, acrescentou o filho do presidente Jair Bolsonaro.

O parlamentar tomou a primeira dose da vacina contra a doença no último dia 26 de agosto e deve receber a segunda parcela do imunizante em novembro.

Assim como o deputado, a ministra Tereza Cristina, do Ambiente, e o Advogado-Geral da União, Bruno Bianco, revelaram nesta sexta-feira (24) que estão infectados pelo Covid-19.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.