Publicado em 30/10/2020 às 12h52.

Movimentação financeira do PCC salta de R$ 6 milhões para R$ 1 bilhão em 15 anos

A evolução atingiu cifras dignas de uma multinacional, diz colunista

Redação
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

 

A movimentação financeira anual da facção criminosa, Primeiro Comando da Capital (PCC), saltou de R$ 6,2 milhões para R$ 1 bilhão em 15 anos, de acordo com informações divulgadas pelo colunista Josmar Jozino, do portal UOL, nesta sexta-feira (30).

Segundo o portal, documentos apreendidos pela Polícia Civil e Ministério Público de São Paulo (MP-SP) com tesoureiros e contadores do PCC, datados de 2004 e 2019 mostram que a movimentação financeira da facção aumentou 160 vezes nos últimos 15 anos.

O UOL divulgou que teve acesso à planilhas que revelam que a organização movimentou R$ 6,2 milhões de setembro de 2004 a junho de 2005, e cerca de R$ 1 bilhão entre 2018 e 2019. A evolução atingiu cifras dignas de uma multinacional.

A documentação indica ainda que a facção movimentava mensalmente, em 2005, entre R$ 100 mil e R$ 350 mil com a compra de drogas, aquisição de armas, munição e veículos, pagamentos a advogados, remessa de dinheiro para seus líderes e empréstimos para os integrantes.

Entre 2018 e 2019, o PCC movimentou cerca de R$ 1 bilhão, como aponta a investigação do MP. Segundo as planilhas, o PCC movimentou R$ 140 milhões de dezembro de 2017 até julho de 2018. Nos primeiros seis meses de 2019, a facção comprou 15 toneladas de cocaína e gastou outros R$ 5 milhões apenas em despesas com aeronaves.