Publicado em 20/02/2016 às 19h00.

Paciente com suspeita de Guillain-Barré morre em Ribeirão Preto

Médico que atendeu ao paciente está viajando. Ao retornar, na segunda-feira (22), ele poderá notificar o sistema de saúde

Agência Estado
Ilustração: Arte AE/ Estadão Conteúdo
Ilustração: Arte AE/ Estadão Conteúdo

 

Um homem de 57 anos morreu, na sexta-feira (19), com suspeita de ser portador da síndrome de Guillain-Barré, associada ao zika vírus, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. De acordo com familiares, ele havia sido diagnosticado com o vírus há 21 dias e estava internado na Santa Casa da cidade.

O hospital confirmou o óbito, mas informou que o médico que atendeu ao paciente está viajando. Ao retornar, nesta segunda-feira (22), se for o caso, ele notificará a suspeita da doença ao sistema de saúde. Até então, Ribeirão Preto não havia registrado casos suspeitos da síndrome.

Em Presidente Prudente, um pedreiro de 65 anos, internado desde o dia 7 de fevereiro, para tratamento de dengue, apresentou sintomas da síndrome de Guillain-Barré. Segundo os familiares, parte do corpo teve paralisia e ele foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional. Na semana passada, a doença já havia sido diagnosticada num rapaz de 29 anos. Os casos são tratados como suspeitos.

Em Taubaté, no Vale do Paraíba, um homem de 46 anos está internado na UTI do Hospital Regional com a síndrome de Guillain-Barré. Foram feitos exames para verificar se há relação com o zika vírus, mas os resultados ainda não ficaram prontos.

A síndrome é caracterizada por uma inflamação aguda com perda da mielina, membrana que envolve os nervos, por isso os sintomas são formigamento, fraqueza muscular e perda de movimentos. No ano passado, surgiu a suspeita de que o zika vírus pode desencadear a síndrome.

Este site armazena cookies para coletar informações e melhorar sua experiência de navegação. Gerencie seus cookies ou consulte nossa política.