Publicado em 31/03/2016 às 18h00.

PF deflagra operações contra tráfico de drogas e lavagem de dinheiro

As operações Cardeal e Overtime, desencadeadas na manhã desta quinta-feira, em regiões diferentes do país, buscam desarticular quadrilhas que atuam em diversos estados

Redação
Foto: Reprodução/ Youtube
Foto: Reprodução/ Youtube

 

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (31) a Operação Cardeal, a fim de desarticular uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em diversos estados do país. Ao todo, foram cumpridos 72 mandados judiciais, sendo 28 de prisão preventiva, 12 de condução coercitiva e 32 de busca e apreensão, nos estados de Rondônia, Amazonas, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte e Ceará.

Conforme investigações, a quadrilha fazia o transporte dos entorpecentes por meio aéreo, sem registro de voo ou comunicação com as autoridades. Em Rondônia, onde é a base das investigações, os agentes cumprem mandados em Porto Velho, Nova Mamoré, Cacaulândia e Ariquemes. No Amazonas, a operação acontece em Humaitá.

O piloto Élvis Moreira Rocha, o “Manicaca Branca”, apontado como o principal chefe do bando, foi preso pela PF. O suspeito é acusado de comandar um esquema de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em várias cidades do país.

Segundo a PF, a rota do tráfico saia de Rondônia e tinha como destino as cidades do Maranhão, seguindo depois, por meio terrestre, para Fortaleza (CE). A PF informou que as investigações da Cardeal começaram depois da Operação Nova Dimensão, realizada em julho do ano passado em Rondônia e Ceará, contra o tráfico internacional.

Na época foram cumpridos 62 mandados, dos quais 29 de prisão, 26 de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva, além do fechamento de dois estabelecimentos comerciais. Após a Nova Dimensão, os investigadores da PF prosseguiram com as investigações e identificaram o principal responsável pelo transporte dos entorpecentes por avião.

De acordo com a Polícia Federal, até agora já foram apreendidos cerca de R$ 6 milhões, que eram usados para fazer o pagamento do transporte dos entorpecentes. Também foram apreendidos cerca de 100 kg de cloridrato de cocaína e 30kg de fenacetina, insumo químico utilizado para aumentar o volume da droga e, assim, garantir uma maior rentabilidade ao grupo, o que ocasionou a prisão em flagrante delito de seis pessoas.

Pelos altos lucros obtidos com a compra e venda de entorpecentes as investigações apontaram que os alvos possuíam um esquema organizado para a lavagem de capitais ilícitos, utilizando-se de diversas empresas, como joalherias, distribuidoras de bebidas, revenda de automóveis, academias, farmácias, dentre outros, as quais foram objeto de lacração e suspensão das atividades comerciais.

A PF apreendeu diversos automóveis, alguns de alto luxo, aeronaves e rebanhos bovinos. Também foi determinado o sequestro de 23 imóveis, além do bloqueio judicial das contas correntes de 42 alvos.

Presos em Porto Velho, Nova Mamoré e Cacaulândia, em Rondônia, e Humaitá, no Amazonas, os investigados serão conduzidos para a Superintendência da Polícia Federal em Porto Velho e, após interrogados, encaminhados ao presídio local, onde permanecerão à disposição da Justiça estadual.

Operação Overtime – A PF desencadeou também, nesta quinta-feira, a Operação Overtime buscando combater organização criminosa especializada no tráfico interestadual de drogas que fomentava a região de Pirenópolis/GO.